Dez-Vinte-Trinta

Se você já teve que apresentar alguma coisa, um trabalho na faculdade, um projeto para um cliente, uma ideia para um investidor, com certeza já deve ter tido um dia de ansiedade de apresentação.

Parece que a gente aprende desde quando nós somos assim ó, desse tamanho, lá na primeira série que apresentar é algo tenebroso (para muitas pessoas não, mas para mim pelo menos sim!).

A insegurança e ansiedade vem toda de não saber.

Não saber o que falar, o que não falar. Não saber se é melhor o slide ser azul ou se é melhor usar uma camisa listrada. Não saber o que eles vão achar.

Vem de todos os lados!

Esse post, com a ideia original do Guy Kawasaki, tá aqui para tirar pelo menos uma incerteza do seu caminho e você arrebentar na sua próxima apresentação. Pode seguir ela (e se preocupar agora só com a sua camisa).

Dez-Vinte-Trinta

São três números para a glória, é simples como parece e elegante como deve ser. Dez slides. Vinte minutos. Fonte de tudo que tiver escrito com Trinta pontos de corpo (também conhecido como Bem Grande).

Parece pouco. Parece muito. É só o ideal.

Dez slides

É um número ousado, imagina, manter uma apresentação assim curta, sendo que temos tanto para falar. Sim, mas é um número aliviador, para você impor um limite para decidir o que é o mais importante e para sua audiência ter a capacidade de absorver toda a sua mensagem.

Vinte minutos

Aqui vem dois conceitos que acho importante, o do impacto e da conversa. Se você não estiver num palco do TED, onde você falaria “obrigado” no fim da sua apresentação ganharia aplausos do mundo, cravaria seu nome na história e tomaria champagne depois, provavelmente você faz uma apresentação para gerar uma conversa ali com sua audiência. Manter ela com vinte minutos, primeiro te força a espremer sua ideia para gerar impacto, depois te dá tempo e energia para começar uma conversa.

Trinta pontos

Fontes enormes e com imagens, por favor. O principal motivo para usar fontes pequenas é para caber mais texto no slide e então a gente pode ler caso esqueça de falar de alguma coisa, certo? Mas é comprovado que a sua audiência lê mais rápido do que você pode falar e além disso, eles sabem ler, então porque você está lendo para eles? Use seus textos para organizar as grandes ideias, mas entregue elas na sua fala. Cause o impacto que elas merecem.

Faça uma apresentação com a sua cara

Fazer uma apresentação é simples mas não quer dizer que seja fácil. Apresentar é uma tarefa muitas vezes tensa, mas isso também não quer dizer que não possa ser divertida. Faça uma com a sua cara, mas nunca se esqueça de colocar sua audiência como o ponto mais importante dela.

Serviços: Apresentações